fbpx
Empreendedorismo

Empreendedora de sucesso: entrevista com Gi Araripe, sócia da We do Logos e do Instituto Brasileiro de Presença Digital do Zero

Empresária conta sua trajetória e os desafios que o público feminino enfrenta no mercado de trabalho

No dia 8 de março, Segunda-Feira,  é comemorado o Dia Internacional da Mulher. A data, que foi oficializada pela ONU em 1975, é uma representação da luta por direitos iguais, entre homens e mulheres, e para lembrar das conquistas políticas e sociais do público feminino.

De 1975 para 2019 muita coisa mudou e a cada dia as mulheres estão mais próximas do grande objetivo: direitos igualitários. Atualmente, o Brasil tem mais de 26 milhões de empreendedoras, segundo o levantamento Global Entrepreneurship Monitor, de 2019, que no país é coordenado pelo Sebrae e pelo Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade. 

Uma delas é a carioca Gi Araripe, sócia do Instituto Brasileiro de Presença Digital do Zero (IBPD) e da We do Logos, uma das maiores empresas de concorrência criativa da América Latina. 


Gislayne Araripe, sócia do IBPD e We do Logos

O IBPD conversou com a empreendedora de sucesso, Gislayne Araripe, que nos contou um pouco de sua trajetória e visão sobre as mulheres dentro do mercado de trabalho. 

Gislayne Araripe, de 36 anos, começou no mercado de trabalho como secretária, já atuou como vendedora de loja e de curso de inglês, e entrou na We do Logos aos 22 anos, onde atualmente é sócia. “Em tudo que fiz foquei em chegar ao topo, não me contento com o pouco, pois todos nós somos capazes de coisas extraordinárias quando trabalhamos com todo o nosso foco e nos propomos em entregar mais do que foi solicitado”, conta a empreendedora. 

Confira agora na íntegra o nosso bate-papo com Gislayne Araripe:

Pode nos contar como começou a sua experiência como empreendedora e quais as maiores dificuldades que enfrentou?

Confesso que eu tinha um teto de sonho!

Meu objetivo era ser COO (diretora de operações), mas após ler um livro indicado pelo Gustavo Mota, que hoje é meu sócio, mudei completamente meus anseios!

Uma semana após ler o livro “Sonho Grande”, de Cristiane Correa, anunciei que meu objetivo era me tornar sócia da We do Logos! Mas, obviamente, foi algo conquistado com uma soma de oportunidade.

Ser empreendedora é aprender todos os dias sobre as mais diversas áreas e ter sempre foco em seu objetivo. 

Acredita que o empreendedorismo para a mulher tem alguns obstáculos diferenciados ou não? 

O empreendedorismo feminino ainda é visto com muito preconceito, “Mulheres precisam focar na família”, “mulheres engravidam e ficam fora por um tempo”, “mulheres são muito emotivas”, dentre muitas outras frases que já escutei.

Eu digo que tudo isso nos fortalece, nos faz ser mais multitarefas, nos faz entender que somos responsáveis por outros, nos faz empáticas e com capacidade de nos colocar no lugar dos nossos liderados. 

Nos últimos 100 anos foram conquistados mercados, direitos e muito espaço. Nossas avós, nossas mães e até mesmo nossa geração já derrubou muitos muros mas a discriminação de gênero ainda existe e de forma forte e isso não é algo do nosso Brasil, é mundial!

Todos somos responsáveis por educar a nova geração e agir para quebrar estes muros que foram construídos de forma tão enraizada em nossa sociedade. 

Falamos de dificuldades e obstáculos que uma mulher empreendedora enfrenta, mas você acredita que há um lado positivo também?

Nós mulheres somos passionais, multitarefas e muito muito focadas naquilo que colocamos como objetivo. Isso é um grande diferencial em contratar mulheres para os cargos, e acredito que hoje tem sido um diferencial para os passos que estamos conquistando.

Conciliar maternidade e a carreira é um dos grandes dilemas de muitas mulheres. Qual o segredo? 

Segredo? Vou dizer que é algo que aprendemos todos os dias. É algo que precisamos equilibrar a todo momento. Sabemos que temos que abrir mão do convívio integral, mas fico feliz em saber que sou uma referência para minhas filhas. O trabalho pra mim é algo que está no sangue, na alma, é algo que vivo intensamente como o amor pela minha família. 

Como você vê a aceitação do mercado com a entrada de mulheres em cargos tão altos? Quais conselhos daria para mulheres que estão começando agora na área em que você atua? 

Vejo que temos muito a conquistar!

Participo de vários eventos e reuniões de empreendedores e somos minoria esmagadora, nem 10% são mulheres. Temos uma participação ainda “tímida”. Conselho? Bem, sejam resilientes, sejam focadas e façam o que amam. Busque um nicho que você se identifique e faça e entregue mais que as pessoas esperam de você.

Levo para minha vida algo que li no livro Sonho Grande, de Cristiane Correa, “sonhe grande pois é o mesmo esforço que você faz para sonhar pequeno“. Haja como, antes de ser. Não espere chegar no cargo para se portar como. Isso para mim é um grande diferencial!

O Sebrae indicou que metade dos empreendedores em fase inicial de negócio são mulheres. Nesta semana em que comemoramos o dia da mulher, como você enxerga este dado?

Vejo como uma grande conquista! 

Isso é algo a ser comemorado. A pouco tempo atrás, nós não representávamos nem 5% do mercado e hoje estamos conquistando nosso espaço, cada vez mais acreditando em nosso potencial como profissional e empreendedora, mas ainda há um caminho a ser trilhado pois o preconceito ainda existe mesmo em países desenvolvidos. 

Você tem alguma empreendedora (mulher) que te inspirou na sua trajetória? Se sim, qual?

Me inspiro em mulheres fortes, que têm objetivos e são resilientes. Nosso caminho é sempre mais difícil, mas sempre tive minha mãe como uma referência, ela era uma profissional focada, comandou equipe e as pessoas a admiravam. Eu busco ser exatamente assim para minhas filhas, a geração delas é o nosso futuro, elas vão continuar essa batalha

Gostou desse artigo? Deixe o seu comentário e compartilhe nas suas redes sociais.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *