fbpx
Administração

Empreendedorismo Feminino, vantagens e desafios

Por Mariane Nunes

O empreendedorismo feminino veio pra ficar. Conheça nesse artigo um pouco mais sobre esse movimento e sua importância para todos nós.

O empreendedorismo já faz parte do cotidiano de todos. Isso é um fato!

Aqui mesmo no blog você irá encontrar artigos sobre empreendedorismo com dicas para iniciar seu próprio negócio, entre outros assuntos relacionados ao tema.

Mas agora vamos falar sobre um tipo de empreendedorismo que tem crescido exponencialmente a cada ano. Você  conhece o empreendedorismo feminino?

Sabe como surgiu e qual é a sua importância para a sociedade? 

Continua comigo que você vai entender o quanto esse tipo de empreendedorismo é essencial para a economia e para a sociedade. 

Segundo dados da pesquisa do GEM (Global Entrepreneurship Monitor) em parceria com o Sebrae publicada em 2019, o Brasil já conta com 24 milhões de mulheres empreendedoras, ou seja, são muitas mulheres se posicionando no mercado. 

Além disso, segundo essa mesma publicação, o Brasil teve a 7ª maior proporção de mulheres nos Empreendedores Iniciais (em 49 países) em 2018, ao passo que a foi a  3ª maior em 2017.

Isso só evidencia a força da iniciativa feminina no mercado de trabalho, mostrando o quanto as mulheres são inovadoras e proativas quando o assunto é empreendedorismo.

Dia do empreendedorismo feminino

No dia 19 de novembro de 2014, a ONU Mulheres implementou o dia Global do Empreendedorismo Feminino. Por meio dessa iniciativa, a ONU pretende empoderar mulheres do mundo todo, estimulando  a visibilidade de empreendedoras e promovendo a equidade de gênero no mercado. 

As mulheres têm conquistado seu lugar no mercado de trabalho gradualmente. Se fizermos uma comparação com outros períodos da história da humanidade, será possível constatar uma evolução da sociedade ao lidar com as diferenças de gênero. 

No entanto, sabe-se que isso não significa uma redução total das desigualdades. Ainda existe muito a ser conquistado para alcançar patamares de igualdade, porém esses dados só mostram o quanto as mulheres estão lutando para conquistar sua independência profissional e financeira.

Mulheres no decorrer da história

Entre os anos de 1930 e 1950, durante o grande processo de urbanização do país, não ocorreu um aumento relativo das mulheres como força de trabalho. Por outro lado, a recente indústria contratava massivamente mão de obra masculina, enquanto as mulheres eram priorizadas em trabalhos domésticos, sociais, educativos e na área da saúde. 

A partir da década de 50, com a expansão da indústria e a migração da população rural para os grandes centros urbanos, as atividades com predominância feminina, como o setor têxtil e de vestuário, cresceram em um ritmo menor em comparação com os setores da indústria que absorvia os homens. 

Já na década de 80, presenciamos um crescimento contínuo da população de mulheres ocupadas. Assim, também cresceu o percentual de mulheres que se formam no ensino superior. Contudo, as diferenças salariais se mantiveram discrepantes e as mulheres ainda eram limitadas a cargos com menor qualificação. 

Esse fenômeno se estende até os dias atuais, homens ainda são maioria em posições de liderança, ao passo que apenas 19% das mulheres ocupam cargos de liderança nas grandes empresas. Segundo pesquisa do Ipea, isso deve mudar até 2030, pois a população feminina investe  mais em qualificação e estudos.

Empreendedorismo feminino
Empreendedorismo feminino como agente de transformação

Agora, depois de tantos dados e considerações. Pensem aqui comigo. Imagine você ter qualificação, capacidade e competência para fazer mais, e se ver diante do desemprego ou em cargos com baixa remuneração.

O crescimento do empreendedorismo feminino se deu por conta disso. Mulheres que ousaram mostrar para uma sociedade excludente sua capacidade de gerir seu próprio negócio. 

O mercado, infelizmente, ainda discrimina mulheres grávidas, mães, negras, pobres, deficientes, lésbicas, transexuais, entre outros recortes sociais. Por isso, o empreendedorismo feminino movimenta a economia e a posição da mulher diante das limitações que o mercado de trabalho continua reproduzindo. 

Desse modo, as mulheres estão se mobilizando para garantir uma fonte de renda principal ou extra a fim de suprir as lacunas deixadas pelo contexto social no qual estão inseridas, assim como conquistar sonhos, independência e liberdade.

Portanto, pensar em empreendedorismo feminino é pensar em transformação e, acima de tudo, lembrar que estamos  longe de ser o “sexo frágil”.

Comentários (3)

  1. Renan
    28 de janeiro de 2021 Responder

    Gostei muito do texto, é um processo diário de mudança e luta contra o machismo, admiro a força dessas mulheres

  2. Beto
    28 de janeiro de 2021 Responder

    Ótimo texto! Parabéns!

  3. Renata
    29 de janeiro de 2021 Responder

    Um texto que valoriza o empreendedorismo feminino, se baseando no contexto histórico das mulheres na sociedade, deixa claro o verdadeiro sentido da importância deste empreendedorismo e só me faz super parabenizar vocês!!!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *